terça-feira, março 06, 2007

(Ar-de)-dia


Seu olhar dilatado. Em mim. Essa barba desenhando desejos e eriçando os sentidos. Cala frios com a autoridade dos teus sussurros. E Profetiza ardências no calor da tua voz. No meu ouvido. Diz de confianças. E cria um mar de desejos. As minhas rubras ânsias, ainda inflamadas, havia confiado ao azul. Marinho. Mar que acalma. Segredos submersos.
Superfície parece calma mas, centro da Terra ferve.Carne febril, treme. Dos atritos. Dos Calores. Superfície em erupção. Remexida com as marés, onda traz em claro azul realçadas rubras ânsias. Teu toque abrindo fendas, tirando sons sustenidos. Meus átrios e poros se dilatam, arte de sublimar calores em suores.
Deita no meu colo-útero tuas saudades e teu desejo de completude. Tenho a boca úmida salivando fomes. Desfalecida de internas lutas e medievais resistências. Entre minha pele e a tua todas as distâncias foram lançadas, uma a uma, ao chão. Imperativo de nos deixar à vontade. E por capricho dela.
Ah, bem sei. Logo terei que vestir as distâncias. E partir. Reconhecer-me como ser faltoso. Despi o véu de Maya há tempos. Mas ainda fantasio de ilusões duras verdades.
Engana-dor.
E penso que, quando o vulcão cessar e adormecer, talvez eu possa ver, lá no fundo, tua alma entregue. Em sonhos.
Dorme. Minha alma quer se entre-laçar na tua. Encontro tântrico. Se isso acon-tecer....en-fim, uma noite erótica.
*
*
*
Cecília Braga

8 comentários:

Briza disse...

que boniteza, moça. tua fã, eu.

Rafael disse...

Muito sedutor o texto.
Daqueles que dá vontade de morder.
^^
Bonito mesmo...

Tomas disse...

Moça,

passagens lindas nesse texto, como essa aqui, de poesia plena:

"Entre minha pele e a tua todas as distâncias foram lançadas, uma a uma, ao chão"

Que frase de rara beleza conseguistes produzir, moça. Fiquei com ela na cabeça o dia todo. Parabéns, mais uma vez!

Moço aqui tbm já é fã seu, viu?!
Tisc. Tisc.

Beijo grande!
Tomas

Juliana disse...

Nossa! Lindo, tocante (literalmente!).
Sensual e intenso, como deve ser o desejo.
Ardente, como deve ser o amor.
Adoro vir aqui!
Beijos.

Camilinha disse...

Uau!
Lindo seu texto, as palavras que se transformam... muito legal...

E para nós, mulheres:

"Ei... você!
Moço, cuidado com ela!
Há que se ter cautela com esta gente que menstrua...
Imagine uma cachoeira às avessas:
cada ato que faz, o corpo confessa.
Cuidado, moço
às vezes parece erva, parece hera
cuidado com essa gente que gera
essa gente que se metamorfoseia
metade legível, metade sereia.
Barriga cresce, explode humanidades
e ainda volta pro lugar que é o mesmo lugar
mas é outro lugar, aí é que está:
cada palavra dita, antes de dizer, homem, reflita.."

Elenita disse...

que lindo... uau.

"Engana-dor.

E penso que, quando o vulcão cessar e adormecer, talvez eu possa ver, lá no fundo, tua alma entregue. Em sonhos."

Um dia esse trecho eu vou roubar...
Adorei o texto.

Um beijo.

Jefferson P. disse...

Belíssima composição do que foi, do que é... e do que pode ser. Parabéns!

bjos sentidos p/ vc.

Alex Pinheiro disse...

olha!!! que foi esse erotismo por aqui hein!? realmente muito sedutor, sensivel e necessarium... adorável a prosa...
bjs e boas invenções!