sábado, fevereiro 03, 2007

(Now)here!

De um pensamento a outro...


Já nem sei mais o que é real. E por vezes é bom não saber.
"A ignorância é a felicidade".
Hoje quero essa felicidade escondida e ignorada das pequenas coisas, de quem sabe ver a beleza mesmo quando ela nos mostra a face mais feia. Quero ignorar a máscara disforme de tanto sentimento torto, de cores gritantes e escuras que você coloca vez em quando. Saber olhar nesses olhos cansados, de brilho tosco, e um tanto petrificado e com todo meu não-saber sentir presença de mar nessas retinas áridas. Quantas eras glaciais em tua vida?! E quem poderia contar? Tem gente que fica tão pouco, por urgência de vida ou convite de morte, que não há como dizer, e nem como calar. Há quem narre uns fatos. Há quem conte um conto. Há quem analise. Há quem fale de si em 3° pessoa do singular, sem singularidades. Haveria ou haverá quem possa apenas viver com, para e por?! E que traga apenas consigo seu ser in-completo, em construção...
E amor pulsando. Feito coração. Só isso basta! Basta sempre e em qualquer estação ou qualquer era.
Pensamento com peso e concretude de realidade...coisa de quem busca apenas a realidade leve e mágica de um sonho. Sonho bom.
É que a menina em mim acordou tão cedo e quer tornar meu dia doce...
Repleto de tua presença...mesmo que hoje eu precise olhar muito além do que vejo para encontrar doçura em ti. E para meu con-solo de mulher, a menina em mim brinca sempre de faz-de-conta.
*
*
*
Cecília Braga






"Faz de conta que ela era uma princesa azul pelo crepúsculo que viria, faz de conta que a infância era hoje e prateada de brinquedos, faz de conta que uma veia não se abrira e faz de conta que sangue escarlate não estava em silêncio branco escorrendo e que ela não estivesse pálida de morte, estava pálida de morte mas isso fazia de conta que estava mesmo de verdade, precisava no meio do faz-de-conta falar a verdade de pedra opaca para que contrastasse com o faz-de-conta verde cintilante de olhos que vêem, faz de conta que ela amava e era amada, faz de conta que não precisava morrer de saudade, faz de conta que estava deitada na palma transparente da mão de Deus, faz de conta que vivia e que não estivesse morrendo pois viver afinal não passava de se aproximar cada vez mais da morte, faz de conta que ela não ficava de braços caídos quando os fios de ouro que fiava se embaraçavam e ela não sabia desfazer o fino fio frio, faz de conta que era sábia bastante para desfazer os nós de marinheiros que lhe atavam os pulsos, faz de conta que tinha um cesto de pérolas só para olhar a cor da lua, faz de conta que ela fechasse os olhos e os seres amados surgissem quando abrisse os olhos úmidos da gratidão mais límpida, faz de conta que tudo o que tinha não era de faz-de-conta, faz de conta que se descontraíra o peito e a luz dourada a guiava pela floresta de açudes e tranqüilidade, faz de conta que ela não era lunar, faz de conta que ela não estava chorando".

Clarice Lispector

6 comentários:

Elenita disse...

Oi meu amor... Tentei postar aqui essa semana seu blog não permitiu. Tinha tanto a te dizer...

E agradecer.

Depois tentei voltar, dava sempre "blog fora do ar".

Roubei de vc um filme e uma cena de filme transcrita.

Post de quinta feira. Vc me motivou d eum jeito e me mexeu de um jeito....

Coisas que sequer consigo agradecer.

Vc é linda, não se esqueça disso.
O mundo gira. Sempre.

A gente cai e se levanta, pondo a cabeça no lugar.

Obrigada por me inspirar,
me motivar,
me mover.

Um beijo.

Pri disse...

Adoro passar por aqui.
Beijão pra você!

Rafael disse...

Afinal, Clarice é o máximo e faz-de-conta é a gente contando o que faz.
É tudo verdade.

Viktor disse...

A maravilha descoberta apresentou-se diante de mim,

Um universo em miniatura em franca manifestação,

Sem palavras para descrever a riqueza em pessoa,

Uma identificação profunda vem lá do interior.

Cecília Braga disse...

Viktor,

Tentei n vezes... e a mesma mensagem:

"Perfil não disponível

Esse perfil do Blogger não pode ser exibido. Muitos BloggerS preferem não divulgar seus perfils".

Queria tanto agradecer pela novidade linda que você trouxe para o meu dia...agora repleto de sol.

Mas sempre fui cheia de esperança...

Viktor Schimek disse...

Cecília,

Fiquei encantado com o que vc escreveu no seu Blogger, e por isso deixei a mensagem acima pra vc, que veio de momento lá do fundo.

Ao ler esses lindos poemas, percebi que vc é uma pessoal especial. Vc expõe seus sentimentos com a alma.

Acredito que um dia, em um futuro próximo, irei ler em algum jornal relacionado à cultura, a seguinte manchete: “A escritora Cecília Braga acaba de lançar mais uma obra literária”.

Siga em frente, sucessos e boa sorte. Estarei torcendo por vc!

Abraços
Viktor