sábado, janeiro 06, 2007

Ressonância


A Terra vibra em outra frequência. E isso faz toda diferença... O bater das asas de uma borboleta pode sim causar um tufão do outro lado do planeta. A Organização Mundial de Saúde anda preocupada com os crescentes diagnósticos de depressão e ansiedade. E os Ecologistas com a Biosfera. É que acredito na Teoria dos Sistemas vivos, e na ligação entre todas as coisas. Idéias soltas? Tisc, Tisc!

Em 1952, Schumann, físico Alemão constatou que a Terra é cercada por um campo eletromagnético poderoso, situado entre o solo e a parte inferior da Ionosfera (cerca de 100Km acima de nós). Esse campo possui uma ressonância, vibra numa frequência mais ou menos constante de 7,83 pulsações por segundo. Ele é responsável por manter o equilíbrio e as condições de vida na Biosfera. Também que o nosso cérebro e todos vertebrados vibram na mesma frequência - 7,83 hertz. Isso é o que torna possível a troca de energia entre todo o sistema vivo.

Fora dessa frequência não podemos ser saúdaveis...

A partir dos anos 80 e principalmente dos anos 90, essa frequência passou de 7,83 para 11 e logo depois, para 13 hertz por segundo. A Terra está em constante taquicardia. E a nossa percepção de que tudo passa muito rápido, não é ilusória. Diante de uma situação de alerta nosso coração dispara. Estamos em alerta, a Terra e Nós. São tantos os estímulos que constantemente nossa reação de Fuga e defesa é ativada. Um rebuliço e uma agitação fora e dentro de nós. Neurotransmissores loucos, desequilíbrio em nosso orgânismo que vibrando ainda em 7,83 hertz não consegue restabelecer o equilibrio com a Terra, hipertensa. O mundo é tóxico e as nossas relações doentias. A jornada de 24 horas, na verdade, é somente de 16 horas. São frutos mortos o da nossa civilização. Grandes promessas de que o desenvolvimento traria qualidade de vida. Realmente trouxe, quem sabe para 15% da população mundial. Às custas da vida dos 85% restantes (estimativas minhas). E do comprometimento de todo planeta. E o pior é que acreditamos nas falsas grandes necessidades que dizem que temos. Quanto mais possuimos, mais queremos ter. Consumismo, insatisfação, banalidades. Tantas. E injustiças. De todo tipo. Porque tem alguém lucrando com o tráfico, com a fome, com a seca, com a aids, enfim...com todas as mazelas e misérias produzidas e sustentadas como tal, que continua tudo ainda assim e cada vez pior. Não entendo quando uma capa de Playboy ganha R$ 500.000,00. E um trabalhador, pai de família, que ralou o mês todo e só Deus sabe o quanto para receber R$ 380,00. E nós alimentamos isso. E são tantas interrogações. E uma sensação imensa de pertencer. Atuar. Sendo menos egoísta. Sendo mais justa. Menos omissa. O que eu tenho feito para um mundo melhor?

Cansada de relações doentias, mentes vazias, pessoas arrogantes e irresponsáveis com sentimentos dos outros e o futuro do planeta. Quero é caminhar lado a lado com vibra em outra frequência....

Acredito que no princípio havia o verbo e que a palavra transforma. E que seja lá que dom temos nas mãos...é para servir. É Tempo de plantar...


*

*

*

Cecília Braga

2 comentários:

Tomas disse...

Sempre um texto de conteúdo, Cecília. Sempre com questões relevantes e um ponto de vista mt coerente!

Parabéns, moça!

Anônimo disse...

sério? e eu me considerava um físico sem saber disso...
^^
faz muito sentido!! =D